The Dead Will Walk

THE DEAD WILL WALK – 2004
DVDRip/AVI/Legendas Embutidas/74 min./752 MB
Fonte: Blog Space Monster
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI 

Lá pelo início da década de 80, quando eu tinha meus 12 anos, ia ao único cinema que existia por perto: o Cine São Francisco. Talvez por ser em um lugar esquecido por qualquer um que se importasse com regras, o dono permitia que praticamente qualquer um com quase qualquer idade pudesse entrar para ver que filme fosse, de terror a pornôs. Sim, eu frequentei bastante.

E, foi neste abençoado cinema, que vi meu primeiro filme de terror com zumbis, o excelente Zumbi: O Despertar dos Mortos. Filme este que eu nunca mais esqueceria por toda a minha vida. 

Obviamente não foi na estréia, já que o filme era de 1978. O cinema, por ser bem poeira, só passava filmes há muito esquecidos e que deviam sair a preço de Banana. Entre os clássicos que lá assiti, estão Histórias Que Nossas Babás Não Contavam, Barracuda, Os Pivetes de Kátia, e outras preciosidades que o tempo esqueceu. 

Assim, não foi apenas sobre sexo que aprendi no Cine São Francisco, mas sobre o terror, também. Até então, o máximo de horror a que eu fui exposto tinha sido O Abominável Dr. Phibes e A Mosca da Cabeça Branca, na TV. 

O título e o cartaz chamavam a atenção, e eu ainda vacilava, pensando se devia ou não entrar e assistir. Parecia algo medonho e, para meu azar (e sorte) era mesmo. Apesar de cenas mais repugnantes como a dos intestinos sendo arrancados, a cena que mais me marcou foi a da mordida no ombro de uma mulher. Por mais estranho que pareça, aquilo pareceu realmente doloroso e real. Nunca esqueci. Não lembrava o nome de nenhum ator e nem do diretor, mas lembrava da cena do pedaço do ombro sendo arrancado. 

O fato de se passar todo dentro de um shopping também era algo diferente para mim. Não eram apenas zumbis que eu nunca tinha visto também, eu também não sabia o que era um shopping center. 

Apenas muitos anos depois, já adulto é que soube que aquele era o segundo filme de zumbis do diretor, considerado o pai deste tipo de filme. Não me tornei um aficcionado pelo gênero, mas fazia parte dos filmes que eu passara a gostar. 

O documentário (ou Making Of) disponibilizado pelo Blog Space Monster é algo que eu não esperava encontrar quando entrei hoje, na Internet. Pensei, tenho que assisti-lo ainda hoje e compartilhar. E foi o que fiz.

É interessante ver as entrevistas não apenas com o renomado diretor, mas com praticamente todos os atores do filme e alguns tantos zumbis que ainda estavam vivos em 2004, ano da produção. Para um filme de terror que ainda suscita alguns pesadelos, o clima da produção é de pura festa, por assim dizer. Um filme feito no braço.

Assistir ao documentário fez com que eu passasse a ter mais carinho por algo que marcou minha pré-adolescência e que, de certa forma, marcou a minha vida, sendo um daqueles pontos imutáveis no tempo (sim, culpa de Dr. Who). 

Ainda consigo lembrar de sair do cinema, para a luz do dia, meio anestesiado e extasiado. Com um sentimento de ter vencido uma barreira. Agora eu era adulto… mais uma vez. Assim eu me sentia. 

11:14

11:14 – 2003
DVDRip/MKV/Dual-Áudio/Legendado/85 min./1.41 GB
Fonte: Site Tela de Cinema
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI ou AQUI

Exatamente às 11:14, Jack (Henry Thomas, o eterno garoto de E.T., o Estraterrestre) está dirigindo quando atropela – ou pensa ter atropelado – uma pessoa que, ele logo verifica,. está com o rosto esmagado. Desesperado tenta esconder o corpo no porta-malas, mas já é tarde demais. A polícia chega antes que ele consiga fugir. Mas, ele não desiste.

Agora, como esse acontecimento que culminou às 11:14 teve seu início? Uma adolescente grávida, um balconista desesperado para conseguir dinheiro para um aborto, uma amiga que faria qualquer coisa para ajudar um amigo em apuros, um pai que entra em parafuso quando desconfia que a sua filha pode ter cometido um assassinato, uma van repleta de adolescentes retardados e um pênis cortado perdido na estrada. Tudo isso faz de 11:14 um filme perdido divertido de se assistir.

Hillary Swank é a amiga que está disposta a ajudar Duffy, seu amigo que precisa de 500 dólares. Patrick Swayze é o pai que tenta livrar a filha de uma possível acusação de assassinado, Colin Hanks (filho de Tom Hanks) é o motorista da van com os retardados. Rachel Leigh Cook é a adolescente grávida que tira o sono do pai. 

O direto Greg Marcks admitiu abertamente que sua inspiração está em Quentin Tarantino. Provavelmente no modo de contar uma história não-lineart. E, com direito a um final inesperado.

Time Lapse

TIME LAPSE – 2014
BRRip/MP4/Legendado/WS/84 min./806 MB
PARA BAIXAR CLIQUE AQUI
Links Alt.: Filme e Legenda

Imagine que os filmes Cova Rasa e Janela Indiscreta se encontraram em uma história sobre viagem no tempo. É mais ou menos o Time Lapse parece.

Callie (Danielle Panabaker, a Dra.  Caitlin Snow de The Flash), Finn e Jasper dividem uma casa e Finn, que é noivo de Callie, trabalha como síndico do pequeno condomínio. Callie almeja ser escritora, Finn é um aspirante a pintor e Jasper um drogado que também é viciado em apostar em corridas de cachorro. 

Um dia percebem que um senhor de uma das casas não tem mais dado as caras. Quando Callie vai ver o que pode ter acontecido, encontra algo realmente muito estranho: uma espécie de máquina fotográfica gigante, apontada para a janela da casa deles e várias fotos estilo polaroid colocadas em um mural. Ela logo chama os dois rapazes para verem aquilo. 

Analisando as fotos eles chegam à bizarra conclusão de que ela tira fotos do que acontecerá 24 horas depois. Ela tira fotos do futuro. Procurando mais, descobrem que o velho está morto e deduzem que talvez ele tenha tentado mudar o futuro e sofreu as consequências. 

Finn pensa em chamar a polícia, mas Jasper acaba por convenc~e-lo a usar a máquina em benefício próprio. Claro, apostando nos cães e ficando ricos. O que precisam fazer é apenas tirar a foto do que acontecerá no dia seguinte, ou seja, eles mostrando o resultado das corridas do dia seguinte. 

Na foto, aparece também um quadro que teria sido pintado por Finn, que vivia sem inspiração. Agora ele já sabe o que pintará. O que na verdade gera um paradoxo, pois ele pinta o que vê na foto. Então, como o que… ah, esquece. 

Claro, em um filme desse tipo, com tudo a favor dos personagens, já sabemos o que vai começar a acontecer em breve: merda. Junto aos resultados das corridas futuros, vem também revelações nada agradáveis sobre o que está para acontecer com os três amigos. 

Rocketeer – O Filme

ROCKETEER – 1991
BRRip/MKV/Dual-Áudio/Legenda/WS/2.67 GB/
108 min Fonte: Site Tela de Cinema
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI 
Links Alt.: Filme e Legenda

Uma pena que Dave Stevens, o criador do personagem Rocketeer  já tenha nos deixado. Sua criatividade nos deu esse que é um dos heróis mais emblemáticos fora desse circuito de músculos e superpoderes. 

Quando li a graphic novel – gibi gourmet – de Rocketeer na década de 80, eu jurava que aquilo tinha sido publicado na década de 30 e me perguntava porque eu nunca havia ouvido falar daquele heróis por todo esse tempo. Mais tarde entendi que Dave Stevens era um autor contemporâneo e, entendi também, que não tínhamos mais aventuras de Rocketeer, ao menos aqui no Brasil. 

O personagem era justamente uma homenagem a esses heróis de seriado da década de 30 e 40, estilo cara com um foguete nas costas que está sempre salvando a mocinha e tem um velho que entende de mecânica e está sempre com seu velho buldogue ao lado. 

Neste caso específico, Cliff Secord (Billy Campbell) é um piloto que encontra esse jato revolucionário que permitre um homem voar. Com a ajuda do velho Peabody (Alan Arkin) ele acaba se transformando em um herói. Porém, não só os donos querem o jato de volta, mas outras pessoas que podem acabar machucando a sua namorada Jenny Blake (Jennifer Connelly). 

O filme é dirigido pór Joe Johnston, ex-técnico de efeitos especiais que trabalhou nos primeiros Star Wars. O diretor tem alguns clássicos que já são parte da infância de algumas gerações como Querida Encolhi as Crianças e Jumanji. Além disso, dirigiu o primeiro filme do Capitão América que deu o pontapé inicial à franquia da Marvel. 

Para baixar a Graphic Novel clique AQUI

Anomalisa

ANOMALISA – 2016
HDRip/AVI/Legendado/Widescreen/90 Min./1.30 GB
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI
Links Alt.: Filme e Legenda

Depois que assisti a este filme, fui marcá-lo no Filmow e aproveitei para ler os comentários. A maioria era positiva. Mas, alguns criticavam que a quantidade grande de comentários postivos se dava apenas por ser um filme de um diretor/roteirista modinha. Que as pessoas queriam pagar de intelectuais, ou algo assim.

No meu caso, só descobri quem era o diretor/roteirista quando so créditos finais subiram. Eu não sabia nada sobre esse filme, apenas o fato de ser uma animação. O diretor/roteirista em questão é Charlie Kaufman que virou estrela depois de Quero Ser John Malkovich. Um filme completamente louco em que pessoas como Cameron Diaz, entravam na cabeça de Malkovich e passavam um tempo sendo ele. 

Eu gostei do filme. É surrealista. Não procurei entendê-lo ou decifrá-lo, apenas curti e viagem de ácido. Foi dirigido por outro louco, Spike Jonze. Que, aliás, dirigiu o próximo dele que assisti: Adaptação. Nicolas Cage faz o papel do próprio Kaufman, que tem uma irmão gêmeo (apenas no filme) e assim começa um exercício de metalinguagem e eu adoro metalinguagem. 

Depois veio Confissões de Uma Mente Perigosa, dirigido por George Clooney. Talvez o filme mais “normal” do roteirista que eu vi até agora. É baseado no livro de um apresentador de programas americano, e ele é (ou era) uma espécie de Silvio Santos por lá. O Show de Calouros era claramente baseado num de seus programas, o Gong Show. E, além de trabalhar na TV, o cara foi contactado pela CIA e se tornou um agente da mesma. Segundo ele mesmo conta. 

Daí veio Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. Confesso que eu não dei a mínima. Não assisti até pelo menos 3 anos atrás. E, quando vi, não entendi muito bem por que de tanto hype em cima do filme. Acho que não é ruim, apenas não me conectei com a história de forma alguma. 

Sua primeira investida na direção foi em Sinedóque, Nova York. Esse foi o primeiro dele que eu realmente detestei. A história era tão chata, mas tão chata que eu vi pouco mais de 20 minutos de filme. Se melhora depois, não me importa. Não tinha mais saco praquilo. Pensei que era o fim da era de ouro de Kaufman. Até que assisti Anomalisa sem saber que ele estava envolvido. 

Anomalisa começa parecendo bem monótono. Mas, logo entendi porquê. É um drama em animação que fala de fatos da vida que levamos e a vida que levamos pode ser bem monótona. Também fala do que quebra essa monotonia e de como podemos supervalorizar isso por sermos problemáticos e carentes. 

Confesso que quase desisti no começo. O início mostra o enfadonho Michael Stone que, em seu campo, paletras motivacionais é um papa. Ele chega em Connecticut para uma palestra. Casado e com um filho, quando está lá, sozinho, entrar em contato com um antigo amor de antes de seu casamento. Estranhamente, todas as mulheres têm voz de homem. Nos créditos descubro que é o mesmo ator que dubla todos os personagenms homens e mulheres, menos Stone e… Anomalisa. 

Stone é um frustrado na vida emocional, apesar do sucesso na carreira. Não está satisfeito com o casamento e com a vida monótona que leva. Depois da tentativa mal-sucedida de contatar um antigo amor a quem ele abandonou sem maiores explicações, ele se vê novamente “sozinho”. 

Então ele conhece duas amigas que vão assistir a palestra e estão hospedadas no mesmo hotel que ele. Saem para beber e, quando vão se retirar, ele pede a Lisa, a mais tímida das duas que o acompanhe em uma saideira em seu quarto. Lisa é a única personagem que tem voz de mulher (Jennifer Jason Leigh, de Os Oito Odiados). 

Lisa é tímida, “gordinha”, com ela mesma se define, e tem uma cicatriz no lado da cabeça que esconde com o cabelo. Em suma, ela se acha a menos provável para uma noite de romance com um cara famoso. Mas, Stone está simplesmente encantado por ela.

A noite que passam no quarto é repleta de cenas singelas, como quando ele a pede para cantar e ela, depois de muita insistênca, cantar Girls Just Wanna Have Fun, de Cindy Lauper, de uma forma que faz qualquer pessoa sensível chorar.  Sa voz parece ser o diferencial. Ou talvez o fato de Lisa não ser uma pessoa fútil que, em sua insegurança, mostra-se totalmente sincera. Dizer mais do que isso, seria estragar a diversão ou… reflexão. 

Fora tudo isso, temos um fato que já vale Anomalisa por si só: é uma animação em stop motion das mais incríveis que já vi, com, talvez, a primeira cena de sexo totalmente em stop motion,ao menos, que eu saiba. E que cena singela. 

Bom, vou parar por aqui e quem quiser é só baixar e curtir.

Nocturna

NOCTURNA: A NOITE MÁGICA – 2007
DVDRip/AVI/Dublagem de Portugal/Widescreen/80 min./700 MB
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI ou AQUI

Essa animação, ao que me parece, nunca foi lançada aqui no Brasil. Mas, existe esta versão com a peculiaridade de ser dublada em português de Portugal. Por algum motivo isso, em vez de atrapalhar, deixa a animação, que é uma fantasia muito bacana, mais interessante ainda. 

Tim é um garotinho que vive em um orfanato com várias outras crianças. Ele tem medo do escuro e, na hora de dormir, abre a janela para ficar observando sua estrela, Adhara. Porém, as coisas começam a ir mal quando Adhara some do céu, seguida de várias outras estrelas. 

Sem sono, Tim tenta entender o que está acontecendo, quando é abordado por ninguém menos que o Pastor de Gatos. Ele é um dos vários seres que habitam a noite e que tem um trabalho a executar durante no reino de Nocturna. Ele pastoreia os gatos que são responsáveis por cada criança do mundo. No caso de Tim, seu gato é Toblemori, um gato sonolento que não cumpriu sua missão que era fazer Tim adormecer. 

Tim decide que precisa saber como salvar as estrelas e o Pastor de Gatos diz que o único que pode saber algo sobre isso é o Moca, o manda-chuva de Nocturna. Com a promessa de que irá dormir se ajudá-lo, Pastor de Gatos leva Tim até o Moca. Porém, parece que Moca sabe bem mais do que está disposto a dizer.

Uma sombra tenebrosa caminha por Nocturna e Tim, Pastor de Gatos e Toblemori parecem ser os únicos que podem salvar Nocturna e, quiçá, o mundo. 

Com um traço singelo e uma animação caprichada, Nocturna foge dos padrões nos trazendo uma história que entretem crianças e adultos. Observando Nocturna você descobrirá tudo que acontece enquanto você está dormindo. 

Moonwalkers

MOONWALKERS: RUMO À LUA – 2015
BRRip/MP4/Legendado/Widescreen/96 min./700 MB
PARA BAIXAR CLIQUE AQUI
Links Alter: Filme e Legenda 

Uma das teorias de conspiração mais conhecidas é a de que o homem realmente não foi à lua, pois, na verdade, tudo teria sido filmado em estúdio. Dentro dessa teoria há uma outra que é a de que Stanley Kubrick teria sido o diretor dessa versão da falsa alunissagem. Como é algo tão esdrúxulo, só seria possível fazer um filme sobre este assunto em um único gênero: comédia, claro. É assim, Moonwalkers se torna uma surpresa inesperada, sim, pois se fosse esperada, não seria surpresa. 

Ron Perlman é Kidman um militar cheio de traumas da Guerra do Vietnã, que é enviado para a Inglaterra a fim de contratar Stanley Kubrik para fazer uma filmagem da chegada à lua, caso a Apollo 11 não consiga chegar lá. Seria uma espécie de plano B. 

Enquanto isso, Rupert Grint é Jonny um fracassado empresário de uma banda de rock ainda mais fracassada que ele. Devendo dinheiro para mafiosos ele vai parar no escritório do empresário de Stanely Kubrick. Lá, ele acaba encontrando Ron Perlman e finge ser ele mesmo o contato com Kubrick, assim quer fica sabendo a bolada que percebe a maleta de dinheiro vivo. 

Jonny combina com seu amigo maconheiro Leon, para que este se passe por Kubrick, para que possam se apossar da mala. O plano dá certo, até o momento em que a máfia leva o dinheiro e Kidman descobre tudo. Agora, por falta de tempo, os dois terão que, eles mesmos, filmar a chegada a lua, seja de que jeito for. É aí que o filme realmente começa. 

Kidman vai parar dentro do mundo hippie, com o pior diretor de cinema de todos os tempos, entre sexo, drogas e rock’n roll, e precisa filmar o evento mais esperado daquele tempo com um bando de drogados e um roqueiro que pensa se tratar de sua esperada ópera rock que está sendo filmada.  E o diretor quer águas-vivas flutuando no espaço. Não, não tem como piorar… a não ser que a máfia e a CIA em peso estejam caçando Jonny e Kidman para matá-los.

Born To Fight

NASCIDO PARA LUTAR – 2004
BRRip/MKV/Aúdio: Tailandês/Legendado/Widescreen/875 MB
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Um policial tailandês prende um traficante que também é um general ligado a terroristas. Depois disso, em  seu tempo de folga, resolve acompanhar sua irmã, que é atleta, a um evento de caridade que ela e seus outros amigos, também atletas, organizam em um vilarejo carente. 

Porém, em meio a animação e entrega de brinquedos e roupas, um exército terrorista invade o vilarejo e mata dezenas de pessoas fazendo todo o resto de refém. Suas exigências: que o primeiro ministro liberte um certo general que foi preso recentemente. Coincidências acontecem, oras. 

Pe Deaw, o policial, consegue escapar do massacre e se esconder. Vai tentando matar os terroristas que encontra pelo caminho, porém, seus minutos de duro de matar duram pouco, pois logo é capturado. Agora, para conseguir salvar a si, sua irmã e os reféns, ele precisa fazer com que todos lutem, pois ele já sabe algo que os outros não sabem: os terroristas matarão a todos, mesmo que suas exigências sejam atendidas. E mais, lançarão um míssil com uma bomba atômica sobre Bangkok. Desgraça pouca é bobagem. 


Este filme estava perdido em meus arquivos e ontem resolvi assisti-lo. Nem lembro como ou porquê eu o baixei, mas sei que eu demorei demais para assistir essa obra-prima do cinema de ação em que o que menos importa é a história. 

O cinema de ação da Tailândia é repleta de loucos que fazem o Jackass parecer brincadeira de criança. As cenas por trás das câmeras que vem com os créditos finais deixa isso claro o suficiente. 

Como todo bom filme de ação, que deseja capturar sua atenção, este aqui começa com uma sequência de tiroteio, perseguição e lutas, tudo isso envolvendo dois caminhões em movimento. E tudo isso, antes dos créditos iniciais. 


O ator central tem o carisma de uma batata. Mas, isso é irrelevante, já que nem diálogos de verdade, ele tem. O ponto focal do filme é como as pessoas precisam lutar até o fim, quando não se tem mais esperança de nada. 

As cenas do massacre inicial chegam a ser chocantes e algumas parecem reais demais. Homens, mulheres, crianças e idosos são mortos sem piedade. Dessa chacina e do discurso do herói nasce o desejo de revidar, pois só assim haverá chance para que alguns sobrevivam.Assim, não temos aquela síndrome de John Mclane e o heróis não salva o dia sozinho. 

Muitas cenas de luta são impressionantes outras nem tanto. Algumas são inesperadas, como da menininha contra o homem que matou seu pai e a do homem sem uma perna. 

Outra cena incrível é a que o herói luta com outros dois e os três usam como armas pedaços de madeiras em brasa pura. A cada porrada voam fagulhas, deixando tudo com um ar muito surreal. 

Não posso esquecer que todos os atletas que estão no vilarejo também lutam, cada um usando as técnicas de seu esporte específico. Algumas lutas parecem forçadas, mas outras ficam muito boas. 





O filme não é um primor de roteiro, mas, isso pouco importa, como eu já disse antes. Para quem gosta de filmes de ação e artes marciais ele cumpre seu objetivo muito bem. É porrada de sobra para todo mundo. 

Ray Harryhausen 2

THE HARRYHAUSEN CHRONICLES
DVDRip/AVI/Fullscreen/Legendado/58 min./377 MB
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Quanto mais Harryhausen melhor. Mesmo já tendo postado aqui o documentário de 2012: Ray HarryHausen: O Titã dos Efeitos Especiais, ao descobrir este The Harryhausen Chronicles de 1998, tive de trazê-lo, também.

O homem que revolucionou os efeitos especiais, que fez a alegria de nossa infância e que influenciou gente como George Lucas, Steven Spielberg e Peter Jackson, entre outros, realmente não caberia em um único documentário.

Apesar de terem, basicamente, as mesmas informações sobre a carreira desse grande artistas, os dois documentários acabam por se complementar, pois algumas coisas que estão neste não estão no outro e vice-versa. 

A narração deste documentário é feita por Leonard Nimoy. Agradecimentos ao LepparD do Tela de Cinema.